1. Skip to Menu
  2. Skip to Content
  3. Skip to Footer>
Quarta, 22 de Novembro de 2017

Asas de Picadeiro – 1º festival das famílias de circo de Goiânia

PDF Imprimir E-mail

Escrito por Circonteúdo Qua, 09 de Dezembro de 2009 16:44

 

Espaço de expansão da fantasia e do lúdico, o Circo, simbolicamente, está associado à capacidade que uma determinada sociedade tem de se relacionar com o seu imaginário e transformar sua realidade, para melhor. Uma vez relacionados circo e vida, podemos, também, estabelecer paralelos entre os personagens do picadeiro e os sujeitos do mundo. O mundo mudou? Sim.  O circo mudou? Também. Porém, personagens circenses ainda pertencem no cenário da imaginação coletiva e continuam nos picadeiros, a trazer ilusões, e afetar sensivelmente o público.
São palhaços que, ao vestirem a máscara da comédia, arrancam espasmos de alegria da platéia. Ou Mágicos cujas ilusões intrigam almas sonhadoras. Malabaristas, trapezistas e equilibristas desafiam a vida com suas manobras impossíveis. Somos nós na corda bamba. O dia-a-dia, que vai e vem em ciclos de felicidades e angústias. O espetáculo, agora, transformado, modernizado em sua plasticidade, continua a inundar nossas vidas de mistérios e fantasias, sem o que a existência não teria sentido.
Por isso, temos a hora de convidá-lo a participar conosco do ASAS DE PICADEIRO – 1º FESTIVAL DA FAMÍLIAS DE CIRCO DE GOIÂNIA. Esta iniciativa é organizada pelas instituições culturais Anthropos Companhia de Arte, Circo Laheto e Sapequinha Trupe Show com promoção do Ministério da Cultura/Secretaria de Cidadania Cultural através do prêmio Areté – Cultura Viva – Eventos em Rede. Esta ação cultural prevê diagnosticar, registrar, resgatar, difundir e valorizar as práticas artísticas e identitárias das famílias circenses sediadas em Goiânia e região metropolitana, e também de estimular a organização dos artistas desse segmento com vistas ao incremento de sua profissionalização.
No Próximo dia 10 de Dezembro é comemorado o dia nacional do Palhaço. Nesta data festiva, iremos realizar uma homenagem às famílias circenses: Temperani, Paulistano, Romanic, Menezes e Camargo, Mitrovich, Caetano, entre outras, pela  importante contribuição dada à cultura do circo no Brasil. A comemoração  ocorrerá no Circo Laheto situado na avenida  H esquina com a rua 72 (Parque da Criança, ao lado do estádio Serra Dourada). A Programação do evento contempla as seguintes atividades:
9h:00min – Recepção Festiva das Famílias Circenses
10h30min – Cerimônia em Homenagem as Famílias Circenses.
11h:30min – Ato Cívico em defesa do Circo Nacional - Abraço ao  Circo Laheto.
14h:30min – Ações Educativas – Oficinas de interações artísticas com as famílias circenses
16:30 – Apresentações Artísticas
Informações:
Sapequinha - 9901-5841
Maneco Maracá – 9633-0551
Constantino – 8415-8957
GoianiaEspaço de expansão da fantasia e do lúdico, o Circo, simbolicamente, está associado à capacidade que uma determinada sociedade tem de se relacionar com o seu imaginário e transformar sua realidade, para melhor. Uma vez relacionados circo e vida, podemos, também, estabelecer paralelos entre os personagens do picadeiro e os sujeitos do mundo. O mundo mudou? Sim.  O circo mudou? Também. Porém, personagens circenses ainda pertencem no cenário da imaginação coletiva e continuam nos picadeiros, a trazer ilusões, e afetar sensivelmente o público.

São palhaços que, ao vestirem a máscara da comédia, arrancam espasmos de alegria da platéia. Ou Mágicos cujas ilusões intrigam almas sonhadoras. Malabaristas, trapezistas e equilibristas desafiam a vida com suas manobras impossíveis. Somos nós na corda bamba. O dia-a-dia, que vai e vem em ciclos de felicidades e angústias. O espetáculo, agora, transformado, modernizado em sua plasticidade, continua a inundar nossas vidas de mistérios e fantasias, sem o que a existência não teria sentido.

Por isso, temos a hora de convidá-lo a participar conosco do Asas de Picadeiro – 1º Festival das famílias de circo de Goiânia. Esta iniciativa é organizada pelas instituições culturais Anthropos Companhia de Arte, Circo Laheto e Sapequinha Trupe Show com promoção do Ministério da Cultura/Secretaria de Cidadania Cultural através do prêmio Areté – Cultura Viva – Eventos em Rede. Esta ação cultural prevê diagnosticar, registrar, resgatar, difundir e valorizar as práticas artísticas e identitárias das famílias circenses sediadas em Goiânia e região metropolitana, e também de estimular a organização dos artistas desse segmento com vistas ao incremento de sua profissionalização.

No Próximo dia 10 de Dezembro é comemorado o dia nacional do Palhaço. Nesta data festiva, iremos realizar uma homenagem às famílias circenses: Temperani, Paulistano, Romanic, Menezes e Camargo, Mitrovich, Caetano, entre outras, pela  importante contribuição dada à cultura do circo no Brasil. A comemoração  ocorrerá no Circo Laheto situado na avenida  H esquina com a rua 72 (Parque da Criança, ao lado do estádio Serra Dourada). A Programação do evento contempla as seguintes atividades:

9h:00min – Recepção Festiva das Famílias Circenses 10h30min – Cerimônia em Homenagem as Famílias Circenses.11h:30min – Ato Cívico em defesa do Circo Nacional - Abraço ao  Circo Laheto.14h:30min – Ações Edu 
Constantino – 8415-8957

 

 

Comentários   

 
0 #1 SaberGuilbor Corado 23-10-2011 03:16
Ola. Meu nome é Guilbor Corado. Moro e Cabo Frio-RJ. Eu gostaria muito de saber se houve em goiania um trapezista chamado"Guilbor ". O fato é que minha mãe namorou um trapezista por volta da década de quarenta que dizia se chamar por este nome e era de Goiania. O fato é que ela era apaixonada por este trapezista e tanto que decidiu homenageá-lo dando o nome deste ao terceiro filho, no caso, eu. Não fui registrado por parte de pai e sempre considerei este trapezista como meu pai postiço. Gostaria que, se houver algum descendente dele, soubessem dessa homenagem. Não sou filho realmente dele e nem o conheço. mas fica aqui meus sinceros agradecimentos por este homem, embora por breve momentos, ter proporcionado a minha amada mãe, a felicidade de um amor circense.E se não fosse tarde demais para mim, gostaria de ter seguido seus passos me tornando um trapezista. Escrevo isto com os olhos razos d'agua. Um abraço a todos que amam o circo.
Citar
 

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

Painel de entrevistas

jose_rubens_peq
José Rubens
Thumb_lily
Lily Curcio
thumb_chacovachi
Payaso Chacovachi
Argentina
thumb_muralla
Teatro la Muralla
Equador
thumb_museo
Teatromuseo
Chile





Erminia em entrevista no Jô

(+) entrevista na íntegra

Parceiros

As Marias da Graça (Rio de Janeiro - RJ)
Centro de Memória do Circo (São Paulo - SP)
El Circense (Buenos Aires - Argentina)
Encontro de Bastidor (Brasília - DF)
Escola Nacional de Circo (Rio de Janeiro - RJ)
Instituto de Ecocidadania Juriti (Juazeiro do Norte - CE)
Intrépida Trupe (Rio de Janeiro - RJ)
Panis & Circus (São Paulo - SP)
Teatro de Anônimo (Rio de Janeiro - RJ)